Como montar um PC para home office

Como montar um pc para home office
Querendo ter mais produtividade no trabalho? Confira nosso guia de como montar um PC para home office

A pandemia da COVID-19 trouxe a necessidade de estarmos equipados tecnologicamente, e muitas pessoas se viram na posição de usar um PC para home office pela primeira vez. Antes, um dispositivo que para muitos seria apenas para entretenimento em casa, se tornou indispensável para continuar trabalhando. Pensando nisso, o Showmetech elaborou um guia de recomendações de como montar um PC para home office.

É importante adiantar que estaremos recomendando duas opções de PC para home office. Uma dela com ênfase em mais custo x benefício, e outra para aqueles que tem mais de orçamento para gastar. Entretanto, as recomendações a seguir não são para profissionais que utilizam máquinas para renderizações super pesadas, modelagem 3D, e esse tipo de coisa.

Entretanto, a informática nunca é um campo com verdades absolutas, então as especificações citadas até podem atender a uma necessidade mais elaborada, como citamos anteriormente. Porém, não é o hardware mais recomendado por não possui uma placa de vídeo, o que reduz significantemente o tempo e a qualidade no desenvolvimento de alguns projetos.

Quais os componentes de um PC?

Processador

Caso você não tenha muito conhecimento sobre o mundo dos PCs Gamer, é sempre válido dar aquela revisada básica nos componentes de uma máquina. Começando pelo processador, ou a CPU, essa é a peça que realiza todo o cálculo lógico para o seu sistema funcionar, sendo dividido quanto a núcleo, ou seja, pequenas unidades de processamento para realizar tarefas de forma independente. Há também as threads, que são processos criados para executar tarefas mais rapidamente conforme a quantidade.

Placa-mãe

placa-mãe é a peça que reúne todas as peças de um PC, e junta todos esses comandos para que eles funcionem de forma conjunta. É importante se atentar que cada placa-mãe possui um tipo de soquete para o processador. O soquete é o encaixe da CPU na placa, e a AMD e Intel utilizam padrões diferentes e de tempos em tempos atualizam essa entrada conforme a chegada das novas gerações de seus produtos.

RAM

memória RAM por sua vez é um pequeno módulo que vai encaixado nos slots da placa-mãe, e tem a função de fornecer agilidade para o funcionamento de qualquer PC, pois atua de forma conjunta com o processador na transmissão de dados e informações sobre aplicativos instalados. Diferente de outros tipos de armazenamento, a Memória RAM não salva os arquivos dentro dela, e toda vez que o PC é desligado essas informações são excluídas.

Armazenamento

Falando em armazenamento, o HD é aquela peça responsável por armazenar todos os nossos arquivos, mas isso você já deve saber. Atualmente há também o padrão dos SSDs, que tem a ausência de um disco em rotação no seu anterior (por isso o nome Disco Rígido). Com isso os SSDs são muito mais velozes no carregamento desses arquivos, mas também geralmente mais caros.

Há também o formato NVME M.2, que lembra muito um pente de memória RAM. Ele também é um SSD, só que ainda mais veloz, e é ligado diretamente em uma conexão específica de placas-mãe compatíveis, diferentes do SSD normal e do HD, que necessitam de um cabo SATA para a conexão.

Placa de vídeo

placa de vídeo é sempre a estrela do nosso show, e é ela a responsável por gerar imagem e aguentar o tranco nos jogos. Atualmente a AMD e a NVIDIA são as empresas que produzem esses produtos, e quanto maior resolução e qualidade gráfica você quiser nos games, mais caro terá que pagar nas GPUs. Também é sempre bom lembrar que a quantidade memória VRAM, ou seja, a memória de vídeo de um placa, não determina se ela é melhor ou pior do que outra.

Nesse caso específico, não usaremos uma placa de vídeo offboard, ou seja, aqueles modelos vendido por desenvolvedoras separadamente, mas sim placas gráficas integradas nos processadores.

Fonte e gabinete

Negligenciada por muitos, a fonte é de extrema importância, pois precisamos de um produto robusto, com alta eficiência energética, que tenha todos os cabos necessários para montar a sua máquina e a contagem de Watts suficiente para aguentar peças que consumam muita energia.

Por fim, o gabinete é uma das peças mais subjetivas que podemos comentar. Isso porque existe uma infinidade de modelos, com inúmeras formas de montar. Apenas recomendamos um gabinete com boa circulação de ar, um bom filtro de poeira, construção sólida e robusta e espaço para fans.

PC para home office baratinho

O primeiro PC para home office que iremos montar é o mais focado no custo x benefício, ou seja, recomendaremos peças de boa qualidade a um preço acessível, oferecendo uma boa experiência para um usuário que precisa de uma máquina rápida, mas está com orçamento apertado.

Nosso processador não poderia ser outro além do Intel Core i3-10100, de 4 núcleos e 8 threads, encontrado no Submarino por R$ 839. Para tarefas mais simples o modelo se sai muito bem, porém, se o que você procura é uma CPU para uma edição exigentes de imagens ou vídeos, encontrar um modelo com mais cores é interessante. Também devemos frisar que no mercado há a opção do i3-10100F, que não possui placa gráfica integrada e não é viável para nós nesse momento.

A placa-mãe escolhida é a Gigabyte H410M-H. A mainboard já apareceu em outros textos recentes, e tem o diferencial por ser um modelo com bom preço e qualidade, custando R$ 512 no Magazine Luiza. Para a memória RAM recomendamos apenas 8GB por se tratar de um sistema para aplicações mais leves. É recomendado colocar as memória em Dual Channel, ou seja, cada pente em um slot da placa-mãe. Porém como a H410M só possui dois espaço, colocar dois módulos de 4GB poderia nos inibir de realizar um upgrade para 16GB no futuro sem comprar novos pentes.

A escolha fica em adicionar apenas 1 pente de 2666MHz da Crucial Ballistix, saindo por R$ 249 na Kabum.No armazenamento principal não há muito o que discutir, e o HD de 1TB da Seagate entra em jogo, custando R$ 269 no Submarino. Podemos adicionar também o SSD Kingston A400 de 120GB, por R$ 168 no Submarino. Embora seja opcional, o investimento no SSD é muito válido, pois reduz o tempo de inicialização do Windows e programas essenciais, aumentando a produtividade.

Encaminhando para a parte final, não precisamos de um gabinete muito extravagante, e o T-Dagger Cube é um modelo discreto e barato, custando R$ 282 na Amazon. Para fonte também não há muito o que inventar, e a escolhida é o modelo Corsair C450 de 450W, de R$ 329 na Kabum.

Ao total, nosso PC para home office custo x benefício sai por R$ 2.648.

Periféricos

Um bom PC para home office não é bom de verdade sem periféricos de qualidade. Nossa indicação inicial vai para um kit de teclado e mouse sem fio da Dell, com padrão ABNT2 e pilhas inclusas, custando R$ 179 na Amazon.

Para o fone, nossa escolha segue para o JBL Tune 500BT, um headphone sem fio de alta durabilidade e duração de bateria de até 16 horas, encontrado por R$ 227 nas Lojas Americanas. Já o monitor escolhido é o LG 22BN550Y, de 21,5 polegadas com tela Full HD, painel IPS e modo de leitura, que reduz a emissão de luz azul, criando uma experiência mais agradável. O modelo é encontrado por R$ 838 na Amazon.

ProcessadorIntel Core i3-10100
Placa-mãeGigabyte H410M-H
RAM8GB Crucial Ballistix 2666 Mhz
HDSeagate 1TB
SSDKingston A400 120GB
Gabinete T-Dagger Cube
FonteCorsair CV450
Mouse + TecladoDell KM636
FoneJBL Tune 500BT
MonitorLG 22BN550Y

PC para home office “gourmet”

Assim como o prometido, chegou a hora de gourmetizar o nosso PC para home office, e escolher peças e periféricos com uma qualidade e custo elevado. Essa máquina é indicada para um público que pode investir mais no momento, ou precisa de mais potência para realizar tarefas mais pesadas.

O primeiro componente da lista, o processador, fica a cargo do Intel Core i5-10400, um hexacore com 12 threads e placa gráfica integrada, custando cerca de R$ 1400 no Magazine Luiza. Na placa mãe podemos elevar o nível e trazer a Gigabyte B460M DS3H para a jogada por R$ 733 no Submarino. Embora essa mainboard já esse indicada para o meio gamer, ela traz boas opções para quem planeja realizar upgrades no futuro, e também suporte com a conexão de SSD M.2.

Entretanto, caso você ache a placa exagerada demais, pode seguir com o modelo similar a configuração do PC para home office barato, mas abrirá mão da porta M.2. Tendo um orçamento mais livre podemos colocar 16GB de memória RAM (2×8) para ajudar em aplicações mais pesadas, e nossa indicação é comprar 2 pentes de 8GB de 2666 Mhz da HyperX por R$ 322 na Amazon.

No armazenamento nós retornamos com o mesmo HD de 1TB da Seagate da configuração anterior, custando R$ 269 no Submarino. Também adicionaremos um SSD de 512GB XPG Adata, de R$ 588 nas Lojas Americanas. Se um SSD normal já é super rápido, a tecnologia NVME proporciona carregamentos incrivelmente velozes.

Para a fonte também manteremos a Corsair CV450 de R$ de R$ 329 na Kabum. Já para o gabinete escolhemos um modelo com excelente visual, o Corsair 275R Carbide por R$ 549 na Amazon. Particularmente, a cor branca do modelo combinaria muito bem com um fan azul na parte traseira, comprada separadamente.

Finalizando, nosso PC para home office “gourmet” custa em torno de R$ 4.500. O valor alto, como já explicamos anteriormente, é para aqueles usuários que tem maior poder aquisitivo atualmente, e não querem abrir mão de muita qualidade.

Periféricos

Passando para a indicação dos nossos periféricos também gourmetizados, começamos com Logitech G305 Lightspeed, que embora seja voltado para os gamers, é uma excelente pedida para o trabalho, custando R$ 262 no Submarino. Para o teclado, nossa escolha também vai para a Logitech, mas dessa vez com o G213, um teclado de membrana, que pode ter sua iluminação personalizada e é resistente à respingos. O modelo custa R$ 330 na Amazon.

O fone de ouvido fica por conta do Sennheiser HD 350BT, um fone sem fio excelente que aguenta até 30 horas de uso sem carregar, custando R$ 650 na Amazon. Para o monitor, nossa recomendação é o Dell Professional P2419H, que conta uma tela de 24 polegadas em Full HD, alto contraste de cores, painel IPS e ajuste de altura. O modelo é encontrado por R$ 1.089 na Amazon.

ProcessadorIntel Core i5-10400
Placa-mãeGigabyte B460M DS3H
RAM16GB (2×8) HyperX 2666 Mhz
HDSeagate 1TB
SSDXPG Adata NVME 512GB
Gabinete Corsair 275R Carbide
FonteCorsair CV450
Mouse + TecladoLogitech G305/G213
FoneSennheiser HD 350BT
MonitorDell Professional P2419H

E os joguinhos?

Como enfatizamos, as duas configurações anteriores são de um PC para home office, ou seja, focados em trabalho e produtividade. Por não terem placas de vídeo dedicadas, e apenas GPUs integradas ao processador, as famosas Intel UHD Graphics 630, essas máquinas não se dão bem com jogos.

Para ser sincero, é possível rodar games leves, como Valorant, League of Legends, e um CSGO em configurações gráficas baixas e em resoluções como o HD. Tentar subir a barra de qualidade resultará em uma experiência com muitos problemas. Jogos de mundo aberto ou multiplayer massivo, como o battle royale de Fortnite e Warzone devem ter muita dificuldade para rodar nesses PCs.

Isso acontece por dois motivos principais. O primeiro é uma própria limitação de desempenho da placa gráfica integrada, que só existe para dar vídeo. O segundo é relacionado com a falta de memória de vídeo da mesma, que precisa “pedir” memória RAM emprestada dos nossos pentes, resultando em muitos travamentos.

No Showmetech já fizemos duas matérias especiais sobre como montar um PC gamer barato, e também sobre um guia para montar diversas configurações em 2021.

Trabalhos com edição de video e imagem exigem mais processamento

Por mais que os dois PCs anteriores ainda possam ser úteis para edição, podemos fazer ajustes pontuais no nosso PC gourmet para que ele se saia melhor nesse quesito. Tiramos o Core i5 de cena e trazemos o i7-10700F para a jogada. O processador tem 8 núcleos e 16 threads, perfeito para até tarefas bem pesadas. O modelo custa R$ 2300 nas Lojas Americanas.

Manteremos todos os outros itens anteriores, como placa-mãe, RAM, armazenamento e gabinete. Apenas iremos adicionar a Corsair CV550, uma fonte de 550W que custa R$ 380 na Kabum. A mudança da fonte acompanha a chegada da GTX 1650 D6 Ghost Gainward, de R$ 1200 no Magazine Luiza.

Aqui não precisamos de uma placa de vídeo super potente, e modelos de entrada vão nos ajudar a agilizar o processo de renderização em vídeo devido a tecnologias presentes na placa, que podem ser ajustadas no software de edição, como Sony Vegas, After Effects, e Premiere.

E ai, gostou das nossas dicas? Continue ligado no Showmetech e deixe sua opinião nos comentários!

Receba notícias como essa no seu email. Inscreva-se aqui:

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário