Por que pensar no universo dá angústia?

universo
Entenda o que é o niilismo positivo, como usá-lo para lidar com as dúvidas da vida e o que tudo isso tem a ver com o universo

A civilização moderna aprendeu há pouco tempo o que é o universo, qual é a sua relação com a vida terrena e – mais ou menos – de onde viemos. Mas, por que será que encontrar todas essas respostas gera certa angústia ao pensar na vastidão do espaço? O ser humano é naturalmente ávido por respostas. Essa é até, possivelmente, uma característica que nos ajudou a derrotar espécies concorrentes e tornar o homo sapiens dominante no planeta.

Ao mesmo tempo, encontrar parte da solução de nossas dúvidas parece não ser suficiente. E a solução pode estar em uma versão inversa do niilismo, uma espécie de niilismo positivo.

universo
Você sente angústia ao pensar no universo?

 

O grande lance da descoberta de parte dos segredos do universo é perceber que todos estamos intimamente ligados. Porém, não como pregam as religiões. Se antes os filósofos acreditavam que a Terra era o centro de tudo, pouco depois a ciência revelou que, na verdade, não somos tão importantes assim. Somos feitos da mesma matéria expelida por supernovas à milhões de anos-luz de distância.

Átomos que viveram muito antes da humanidade estão hoje na composição mais básica do corpo humano. Somos tão especiais no cosmos quanto a sujeira na sola do seu sapato, cujas moléculas têm provavelmente a mesma origem. Essas respostas podem gerar um impacto negativo em quem considera a vida um presente divino. Como encontrar um sentido para uma existência sem propósito? Como viver sem ser o centro das atenções do Criador?

Ao mesmo tempo, é incrível perceber que somos a única espécie na Terra – ou no universo, até onde conseguimos procurar – dotada de consciência, esse estado mental que nos faz perceber o mundo à nossa volta, mas cuja origem ainda desconhecemos. Surgidos ontem e extintos amanhã em escala planetária, o curto tempo de vida humana é valioso.

Angu?stia recai sobre certos tipos de niilistas
Angústia recai sobre certos tipos de niilistas

Pensar no universo dá angústia, basicamente, se você for, como boa parte dos ocidentais, um niilista negativo ou um niilista reativo. O primeiro é fortemente atrelado à ideia de Grande Plano e considera o ser humano uma criação divina com propósito definido por um Deus misterioso. O segundo nega a existência de plano, mas ainda acredita em uma força superior e coloca no ser humano a faculdade de melhorar sua própria vida.

Niilista positivo

No niilismo positivo, a negação de propósito é só um meio de aproveitar cada momento e experimentar a vida.

Essa é uma boa estratégia para quem entende a insignificância da sua existência e sabe que há muitos mistérios sem solução. O que é a vida? O que é a consciência? Um niilista positivo reconhece que as respostas podem nunca surgir. Enquanto isso, aproveita tudo o que o universo tem para dar.

Um niilista positivo é como um carpe diem consciente. Sabendo que a vida acaba em breve e que provavelmente não há um Deus, aproveita as melhores experiências da existência humana, auxilia os outros e o planeta e, quem sabe, ajuda a prolongar a presença da espécie no universo.

Mais sobre o niilismo positivo e a convivência com a dúvida você confere nesse vídeo interessante do canal Kurzgesagt no YouTube.

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Deixe uma resposta

Receba notícias por e-mail