Reconhecimento facial: o futuro dos ingressos para shows

Reconhecimento facial: o futuro dos ingressos para shows 7
A Ticketmaster, uma das maiores vendedoras de ingressos do mundo, está trabalhando em um projeto que pode acabar com os ingressos de papel.

Se você fica com medo de perder os ingressos de um show, essa notícia é pra você. Principalmente para evitar que algo como aquela fã que viajou até a Argentina para ver o show do Radiohead, mas esqueceu o ingresso em casa – mais de 2 mil quilômetros de distância do local da apresentação. Isso porque a Ticketmaster, uma das maiores vendedoras de ingressos do mundo, está querendo acabar de vez com a possibilidade de você poder perder sua entrada para uma apresentação. Confira a novidade a seguir.

Reconhecimento facial: o futuro dos ingressos para shows 8

Dos ingressos de pulseiras para a biometria

Pensando nesses contratempos, festivais que costumam durar mais de um dia passaram a adotar pulseiras como entradas. Desse jeito, ao colocar uma dessas, é impossível você perder sua entrada para os próximos dias de música.

Mesmo assim, a tecnologia não para por aí. A Ticketmaster, juntamente com a Live Nation Entertainment, a produtora que já domina o mundo, anunciou uma parceria com a Blink Identity, uma empresa especializada em biometria e identificação de íris.

Essa parceria, de acordo com o CEO da Live Nation, Michael Rapino, vai ser para um novo projeto de tecnologia da empresa. Ele adiantou, em comunicado aos investidores, que a Blink Identity tem uma “tecnologia de reconhecimento facial, a mais moderna atualmente, que é capaz de associar seu ingresso digital com sua imagem.

Assim, não será preciso nada além do seu rosto para entrar em um show.

Reconhecimento facial: o futuro dos ingressos para shows 9

Solução moderna e rápida

De acordo com o site The Verge, a Blink Identity garante que consegue identificar pessoas com “metade de um segundo”, mesmo se eles não estiverem olhando diretamente para câmera.

Embora ainda não exista uma previsão exata de quando os “ingressos de reconhecimento facial” possam estar disponíveis, o The Verge pontuou que, para o projeto funcionar efetivamente, a Ticketmaster vai precisar de uma database com milhares de imagens dos rostos de quem comprar as entradas.

Considerando que acabamos de vivenciar uma crise de informações vazadas pelo Facebook, uma das maiores redes sociais do mundo, isso pode, compreensivelmente, levantar novamente o debate sobre privacidade no século 21.

Você pode entender mais sobre reconhecimento facial através desse vídeo da BBC, em inglês: