REVIEW: Motorola Moto E6 Plus, um “basicão” de respeito

Imagem destacada do Motorola Moto E6 Plus
O Moto E6 Plus é um smartphone de entrada que faz por merecer o título de melhor "basicão" do ano. Saiba o porquê nessa análise

A linha Moto E da Motorola apresenta smartphones com especificações mais básicas para atender o público que quer ter um celular inteligente sem gastar muito por isso. O Moto E6 Plus, lançado no Brasil junto do One Zoom, é o mais “potente” dessa geração, contando com algumas configurações interessantes – e outras nem tanto – para competir com a K12, da LG, e o Galaxy M, da Samsung.

Disponível nas versões de 2GB e 4GB, analisamos o Moto E6 Plus (de 4GB) e a nossa análise completa você confere agora. Será que ele é melhor “basicão” do Brasil?

Construção e design

O Moto E6 Plus traz um ar de modernidade e evolução na linha Moto E. Mas não se engane: o smartphone é todo construído em plástico e a tampa ainda é removível! Apesar disso, estamos diante de um modelo moderno e estiloso, com uma cor cinza metálica e a laterais arredondadas em plástico. Na caixa, a Motorola inclui uma capinha protetora transparente, e você vai precisar dela – a tampa é bastante frágil e qualquer superfície mais áspera acumula digitais e arranhões.

Tampa traseira é removível e bastante frágil, mas é bonita
Tampa traseira é removível e bastante frágil, mas é bonita

Retirando a tampinha, encontram-se as portas para dois chips e um cartão de memória. É aqui que mora toda fragilidade do Moto E6 Plus; Seus 149g o tornam o celular mais leve que já testei – sem a tampa, ele vira um peso de papel! Aliás, muito cuidado para não deixá-lo cair no chão – é possível que voe capa para um lado, bateria para o outro.

Moto E6 Plus volta no tempo com traseira removível
Moto E6 Plus volta no tempo com traseira removível

Nas laterais, há controladores de volume, botão Liga/Desliga, entrada de 3.5mm para fones de ouvido e entrada MicroUSB para carregamento e transferência de dados. Assim como o K12 e seus irmãos, a Motorola não atualizou para o USB-C, ou seja, sem carregamento rápido por aqui.

O sensor de digitais na parte traseira se mantém, e sua localização um pouco mais acima, perto das suas câmeras traseiras verticalmente e sem ‘calombo’, é até que rápido e responsivo para a sua categoria.

Apesar de aparentemente muito frágil, o Motorola Moto E6 Plus é resistente a respingos d’água, segundo a empresa. Isso quer dizer que você vai poder pegar uma chuva mais moderada com ele sem maiores problemas. Mas não pense em mergulhá-lo na piscina, pois não há nenhum vedamento em sua carcaça.

Tela

O Moto E6 Plus tem um painel de 6,1 polegadas com resolução HD+ e tecnologia IPS LCD. O formato da tela tem um recorte em gota para abrigar a câmera frontal do aparelho. A visualização é boa, mas tem bordas visivelmente grandes.

Em relação à qualidade do display, as cores são muito vivas e o até que surpreende para um aparelho de 700 reais. Como painel IPS LCD, ângulos mais desafiadores perdem a tonalidade, mas não prejudica na visualização de vídeos, fotos e jogos.

Tela de 6,1 polegadas HD+ é muito boa para filmes e séries
Tela de 6,1 polegadas HD+ é muito boa para filmes e séries (Imagem/Reprodução: Motorola)

O grande ponto negativo fica em torno da resolução HD do smartphone da Motorola. Apesar de ser um modelo abaixo dos 900 reais, sua qualidade fica abaixo da linha K12 e os modelos mais básicos das famílias Galaxy A e M.

Desempenho

Por dentro do Motorola E6 Plus roda um processador Helio P22, da MediaTek. Ele é um chipset básico lançado em 2018 com foco em eficiência energética e que também equipa os smartphones da família K12, da LG.

O Helio P22 é um chipset básico com clock máximo de 2.0GHz e inteligência artificial
O Helio P22 é um chipset básico com clock máximo de 2.0GHz e inteligência artificial

Diferente dos seus concorrentes diretos, o E6 Plus tem versões com até 4GB de RAM, o que garante um melhor gerenciamento na multitarefas e em alguns jogos mais pesados. Para o dia a dia, o Helio P22 é muito bom e todos os aplicativos básicos, como Facebook, Instagram, Snapchat, Twitter, YouTube e Netflix não possuem travamentos ou demora no carregamento.

O processador também traz alguns recursos de inteligência artificial bastante bem-vindos para introduzir o usuário na tecnologia. Ela está presente na bateria, otimizando os apps que o usuário mais usa para que poupem energia; nas câmeras, escolhendo a melhor configurações para determinado cenário; e em jogos, dando um pequeno boost em títulos mais pesados.

Em relação aos games, fica o alerta: o processador não é o mais indicado para jogos. A placa gráfica IMG PowerVR GE8320 de 650 MHz não é potente o suficiente para rodar Modern Combat 5, PUBG Mobile ou Free Fire, por exemplo, com uma taxa de fps baixíssima e tempo de carregamento alto. Apesar disso, games mais simples como Subway Surfers e Candy Crush têm desempenho satisfatório.

Visualização do display surpreende pela faixa de preço
Visualização do display surpreende pela faixa de preço (Imagem/Reprodução: Motorola)

Vale lembrar que os 4GB de memória RAM dão ao Moto E6 Plus um gás extra na execução de aplicativos, e os 64GB de armazenamento interno (com expansão via cartão de memória para mais 512GB) dão conta do recado mesmo sem folga. Entretanto, há disponível no mercado brasileiro a versão de 2GB/32GB, que deve “sofrer” um pouco mais para rodar aquele jogo ou gerenciar uma multitarefas.

Duas câmeras poderosas

A Motorola fez um excelente trabalho nas câmeras do Motorola E6 Plus. Pode parecer pouco para os padrões atuais, mas os dois sensores traseiros de 13MP e 2MP tiram fotos com boa definição e um surpreendente modo retrato. Em boas condições de luz, há pouquíssimo ruído e alguns detalhes podem ser vistos com definição mesmo sob a sombra.

Foto tirada com a câmera principal do Moto E6 Plus
Foto tirada com a câmera principal do Moto E6 Plus
Foto tirada com a câmera principal do Moto E6 Plus
Foto tirada com a câmera principal do Moto E6 Plus
Foto tirada com a câmera principal do Moto E6 Plus
Foto tirada com a câmera principal do Moto E6 Plus

O foco não é tão rápido quanto o ideal, especialmente em fotos com modo retrato, mas os resultados foram, em sua maioria, satisfatórios e com pouquíssimos erros de contorno. Se você fotos para redes sociais e de paisagens à luz do dia, ele não vai te decepcionar.

Foto tirada no Modo Retrato do Moto E6 Plus
Foto tirada no Modo Retrato do Moto E6 Plus

Quando a noite cai, o E6 Plus sofre assim como a maioria dos smartphones mais baratos. Há granulação nítida e a abertura máxima de f/2.0 peca na captação de luz. Entretanto, se o ambiente não estiver muito escuro, dá para arriscar alguns cliques.

A câmera frontal de 8MP se encontra no notch na parte frontal e faz fotos muito boas também. O pós-processamento não é muito agressivo, fazendo com que as cores saiam equilibradas em ambientes favorecidos. Aqui também é possível fazer selfies com modo retrato, feito via software, mas até que surpreende em destacar bem o objeto do fundo.

Em relação à gravação de vídeos, temos o que se espera de smartphones de entrada: o Moto E6 Plus grava em até 1080p (Full HD) a 30fps e estabilização eletrônica. Recorda os seus melhores momentos, sem mais nem menos.

Sistema operacional

O sistema operacional do Moto E6 Plus ainda é o Android 9.0, mas a otimização da Motorola em seus smartphones é tão boa que eles ficam quase puros, sem bloatwares (aplicativos desnecessários) e excesso de transições. A experiência de mexer em um Android tão básico é boa, já que você praticamente acaba tendo em mãos uma navegação de Google Pixel com o app Moto, que traz algumas funções já conhecidas pelos usuários Motorola.

Além disso, o Moto E6 Plus consegue aproveitar a maioria dos apps compatíveis com tela cheia, dando um ar modernidade à linha mais básica. Apps como Netflix e YouTube já vêm com o suporte de fábrica, fazendo com que filmes e séries sejam reproduzidos m bastante imersão.

Bateria e áudio

Bateria removível do Moto E6 Plus aguenta mais de um dia de uso moderado
Bateria removível do Moto E6 Plus aguenta mais de um dia de uso moderado

O processador Helio P22 não tem foco desempenho, mas seus oito núcleos Cortex-A53 fazem bonito em autonomia de bateria. São 3.000mAh por aqui, o que em 2019 é o limite do aceitável para um smartphone atualmente, mas que são bem distribuídos durante o dia, se você manter um perfil moderado de uso.

Como ele não é um smartphone focado em jogos, estressamos ele de acordo com sua proposta principal: saímos de casa pelas 8 horas da manhã com 100% de carga e abusamos do 4G para usar redes sociais, alguns minutos do YouTube, uns dois episódios de 45 minutos cada na Netflix, streaming de música pelo Spotify durante duas horas e verificação de e-mails a casa 30 minutos. Chegamos em casa por volta das 20 horas com cerca de 40%, o que é muito bom para um aparelho dessa faixa de preço.

Se adicionar alguns cliques e gravações com a câmera dupla na rotina, essa média cai para 35%, uma média ainda aceitável. Agora, se você arriscar uma jogatina, saiba que ele pode pedir por carga antes mesmo do dia acabar. E recarregar o Moto E6 Plus é um processo BEM demorado. O smartphone não tem USC-C e nenhuma tecnologia de carregamento rápido, então ele vai demorar, em média, 3 horas para ir de 0% a 100%.

Vale a pena comprar o Motorola Moto E6 Plus?

Sim. O Moto E6 Plus vale super a pena se você for o tipo de usuário mais casual, que não baixa muito jogos pesados e usa o smartphone redes sociais, e-mails, fotos e consumir multimídia de vez em quando. O conjunto é bastante simples, não se destacando negativamente em nenhum ponto. Pelo contrário. Ele tenta ser o melhor smartphone básico e ganha pelo equilíbrio nas configurações.

Se você gostou do Moto E6 Plus, um alerta: ele é vendido em duas configurações: o modelo que testamos traz 4GB de memória RAM e 64GB de armazenamento interno, mas ainda há uma outra versão com apenas 2GB de RAM e 32GB de armazenamento interno. Não avaliamos a opção mais básica, mas já deixamos claro que a diferença deve impactar no desempenho geral do aparelho.

Curtiu o Motorola Moto E6 Plus? Ele pode ser adquirido por R$ 649,00 na versão mais parruda. Se você já possui um, deixe nos comentários o que está achando do smartphone!

Especificações técnicas (Motorola Moto E6 Plus)

Especificações técnicasMotorola Moto E6 Plus
Construção e
dimensões
Plástico com tampa removível
Resistente à respingos
– Altura (mm): 155.6
– Largura (mm): 73.1
– Espessura (mm): 8.6
Tela6,1 polegadas HD+
IPS LCD
ProcessadorMediaTek Helio P22
(octa-core de até 2.0GHz)
Memória e
armazenamento
4GB + 64GB (versão analisada)
2GB + 32GB
Expansão com micro SD até 512GB
AndroidAndroid 9.0 Pie
Interface da Motorola
Bateria3.000mAh
RecursosSensor de digitais
Tampa traseira removível
Dois chips
Entradara 3.5mm para fones
Inteligência Artificial
Bluetooth 4.2
CâmerasTraseira: Lente 76º – f/2.0 (13 MP)
Lente 76º – f/2.0 (2 MP)

Frontal: 8MP com IA
CoresRubi
Cinza Metálico
Vermelho Metálico
Azul Netuno
SensoresAcelerômetro
Proximidade
Luz Ambiente
Impressão Digital
PreçoR$ 649,00
Motorola Moto E6 Plus, um "basicão" de respeito
  • Construção - 6/10
    6/10
  • Design - 8.5/10
    8.5/10
  • Tela - 9.5/10
    9.5/10
  • Conectividade - 8/10
    8/10
  • Hardware - 9.5/10
    9.5/10
  • Software - 9.5/10
    9.5/10
  • Bateria - 9/10
    9/10
  • Cãmeras - 10/10
    10/10
  • Custo-benefício - 10/10
    10/10
8.9/10

Motorola Moto E6 Plus, um "basicão" de respeito

O Motorola E6 Plus é um smartphone de entrada lançado em 2019. Ele traz processador octa-core com inteligência artificial, auxiliando as câmeras, bateria e desempenho. Por falar em câmera, ele é equipado com duas na traseira e uma na parte frontal. A bateria é removível de 3.000mAh sem carregamento rápido.

Pros

  • Design agradável e estiloso;
  • Tela de 6,1” com boa visualização;
  • Conjunto de hardware bom para multitarefas;
  • Câmeras excelentes para a categoria;
  • Bateria duradoura;
  • Custo-benefício excelente.

Cons

  • Construção muito frágil e removível;
  • Processador não é bom para jogos;
  • Não tem carregamento rápido.

2 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

  • O processador dele realmente não é muito potente, mas o meu rodou PUBG Mobile sem nenhuma dificuldade ou queda de frame. E meu amigo, Free Fire roda até em um Gran Prime!

  • Eu comprei a versão com 64GB e 4gb de memória RAM e o celular é liso, roda o navegador ou qualquer aplicativo de produtividade rápido, sua interface é leve e fácil de mexer! É muito leve, e tem uma tela bem bacana! Estou amando o celular, mas estranhei o tempo de carregamento. Liguei hoje no suporte da Motorola e me disseram que o carregador que vem com ele não é turbo, apenas um carregador rápido de 10 whatts e o tempo estimado de recarga é de 03:50 minutos! Perguntei se tinha alguma opção pra melhorar isso é ele me informou que o aparelho é compatível com qualquer carregador turbo, desde que seja motorola, embora eles recomendam que se use o carregador original.No entanto eles não tem uma estimativa de tempo de carregamento no caso de se usar um carregador turbo.

Assine nossa Newsletter