Vivo e Samsung dão dicas de como proteger seu smartphone

Imagem destacada do Vivo / Samsung segurança
Bate-papo realizado entre Vivo e Samsung, no Digital Labs, contou com profissionais em segurança digital e dicas de como proteger seu smartphone

A Vivo convidou a imprensa para uma conversa sobre segurança de dados e conexões digitais no Digital Labs, centro em São Paulo criado para fomentar a mentalidade de startups e inovação digital. O papo teve participação de representantes da operadora e da Samsung, parceira em soluções de segurança.

Nelson Uto, P&D em segurança na Samsung Brasil, começa explicando que a Samsung não mede esforços para providenciar uma excelente experiência de uso em seus dispositivos, sem deixar de lado a preocupação com segurança.

Nelson Uto fala sobre segurança no evento da Samsung / Vivo
Nelson Uto, P&D em segurança da Samsung Brasil, afirma que a empresa não mede esforços para providenciar a melhor experiência aos seus usuários

Uto afirma que não basta oferecer segurança, falando que a obrigação de engenheiros e desenvolvedores devem “ajudar o usuário a se proteger”, criando interfaces e fornecendo informações claras e de fácil compreensão.

Como se cria uma solução de segurança

Segundo Nelson, pensa-se em que tipos de ameaças o usuário está sujeito – e elas são muitas, conforme se vê no Glossário de ameaças da NCSC (Nacional Cyber Security Centre), uma organização do Governo do Reino Unido que fornece aconselhamento e apoio ao setor público e privado sobre como evitar ameaças à segurança de computadores.

O glossário possui uma série de expressões e frases com o intuito de criar um conjunto de definições simples para termos comuns de segurança cibernética. No caso das conexões sem fio (Wi-Fi), por exemplo, existe a possibilidade de que o usuário seja atacado ou tenha sua privacidade violada ao acessar redes inseguras.

Tabela de ameaças do Glossário NCSC
Tabela de ameaças do Glossário NCSC

Pensando nesse risco, a Samsung lançou, a partir do Galaxy S10, um módulo de segurança para redes sem fios, que detecta a insegurança em redes Wi-Fi e evita que o usuário se conecte a elas. Em razão das sofisticadas táticas usadas por hackers, a proteção vai além do software e tem o auxílio de componentes do hardware do smartphone.

Análise contínua

A cada dia, hackers identificam vulnerabilidades em um ou mais dispositivos eletrônicos e as usam para desenhar ataques. Depois que isso acontece, muitos dispositivos acabam infectados pelo malware.

Ao identificar essa ocorrência, empresas como a Samsung avaliam amostras do malware e repassam ao time de engenharia reversa para que seja criada uma solução. Então, a correção é desenvolvida e distribuída e, com isso, espera-se que todos os aparelhos com a vulnerabilidade se tornem protegidos.

Rede de segurança da Samsung em dispositivos
A Samsung avalia amostras de malwares para desenvolver as correções de segurança para os aparelhos nocíveis a possíveis ataques

“Software não consegue proteger sozinho o software”, afirma Nelson. Por essa razão, ele explica que são criadas medidas de software combinadas com recursos de hardware dos aparelhos. Em alguns casos, para proteger um smartphone, por exemplo, o sistema até “queima” um componente de hardware interno, bloqueando a violação de forma física e real.

Segurança por meio do Samsung Knox

William Comar, responsável pelas soluções Knox da Samsung voltadas ao mercado corporativo, comenta sobre essa plataforma que vem embarcada em dispositivos da Samsung.

“A plataforma Knox vem sendo desenvolvida desde o lançamento do Galaxy S4. O recurso já possui homologações de segurança concedidas por diversos governos em todo o mundo”.

William Comar, responsável pelas soluções Knox da Samsung
Samsung Knox está presente nos dispositivos mais recentes
O Knox é a plataforma móvel de nível de segurança governamental da Samsung incorporada em dispositivos mais recentes

O Knox funciona com camadas adicionais ao sistema operacional do dispositivo e inclui verificações de integridade de hardware, processos de checagem na inicialização (secured & trusted boot) e arquitetura de mensuramento de integridade do kernel do aparelho. Todas são etapas que podem bloquear o acesso de um malware ou atividade ilegal.

Toda essa segurança foi também estendida aos usuários não corporativos com a chegada da Pasta Segura. Baseando-se nos mesmos critérios de segurança de dispositivos corporativos, a Pasta Segura é criptografada e cria um ambiente onde o usuário pode salvar arquivos e até instalar aplicativos, de forma que eles estejam protegidos por camadas adicionais de segurança.

Proteção de Dados

Ruben Longobucco, responsável pela segurança da Telefônica / Vivo, lembra que a operadora tem áreas responsáveis pela segurança digital, segurança patrimonial e governança.

Ele começa falando da LGPD (lei de proteção e privacidade de dados), explicando que a operadora já desenvolveu toda uma metodologia de trabalho para se adaptar à nova lei, que entrará em vigor em agosto de 2020. A operadora irá realizar workshops com fornecedores, onde explica como empresas podem se adaptar a essa nova realidade.

Instalação de aplicativos confiáveis

Todo cuidado é pouco e, por mais funcional que pareça, nem todos os aplicativos são confiáveis. Tanto na App Store quando na Play Store, prefira aplicativos que possuam notas boas e um bom número de comentários positivos). Alguns desses Apps também podem pedir acesso à dados do seu smartphone que não precisam. Analise a proposta do App e veja se vale a pena permitir acesso à dados do seu smartphone.

Outra dica importante é evitar baixar arquivos direto pela internet. Pode não parecer, mas o smartphone é até mais vulnerável e mais suscetível de sofrer roubo de dados que um computador. Por isso, evite fazer downloads usando o navegador do smartphone, para que não aja futuros problemas de vírus e invasão. Caso seja extremamente necessário, opte apenas por endereços verificados e confiáveis. Faça uma breve pesquisa antes.

Biometria nos serviços da Vivo

A Vivo implantou, em março de 2019, um sistema de biometria facial e documental online dos clientes nas lojas próprias autorizadas e revendas de todo o Brasil. O projeto traz segurança e redução de perdas, gera comodidade, agilidade, promove experiência digital e aumenta a experiência do cliente.

A biometria está presente nos mais diversos serviços a fim de trazer mais segurança de dados para os usuários
A biometria está presente nos mais diversos serviços a fim de trazer mais segurança de dados para os usuários

Ele inclui o atendimento, foto com selfie do cliente, digitalização dos documentos, captura de voz, assinatura digital para o contrato e agendamento de serviços. Tudo é feito pelo atendente da Vivo, com recursos instalados em um tablet.

Os dados de clientes coletados pela Vivo / Telefônica ajudam a empresa a identificar padrões de comportamento que, se quebrados, podem alertar à companhia sobre a ocorrência de fraudes.

Aparelhos Roubados: como evitar o acesso aos dados

A Vivo recomenda que o consumidor use os recursos de criptografia do aparelho (disponíveis na plataforma Knox, por exemplo), de forma a minimizar o vazamento de dados na eventualidade de ter o smartphone perdido ou roubado.

Outro recurso importante, mas nem sempre ativado pelo usuário, é o “Encontre meu aparelho”. Dispositivos Android e iPhones possuem esse tipo de ferramenta pré-instalada no smartphone, mas nem todo mundo sabe que, para que elas funcionem, é preciso acessar, configurar e testar o recurso antes que uma eventualidade aconteça.

Como ativar o “Encontre meu aparelho” no Android e iPhone

A ferramenta disponibilizada pelas empresas é de suma importância para a proteção de seus dados no caso de perda ou roubo do aparelho. Saiba como ativar a função para bloquear seus dados ou até mesmo apagá-los do dispositivo remotamente:

Antes de mais nada, é bom lembrar que o “Encontre meu aparelho” só será efetivo se o usuário estiver cadastrado nas contas do smartphone. Em smartphones Samsung, é imprescindível estar logado no Samsung Account e Conta Google. Em smartphones com iOS, se cadastrar no iCloud é essencial que o smartphone consiga encontrar sua localização.

Após o cadastro nas respectivas contas, outro passo importante é encontrar o menu de autorização de administradores de serviço dentro do aparelho e confirmar que a autorizações dos aplicativos estejam ativadas. Em smartphones Samsung com a interface OneUI, siga o caminho Configurações > Biometria e Segurança > Buscar Meu Telefone e certifique-se de que as opções estejam ativadas.

Nos iPhones, você pode ativar para compartilhar a localização com seus amigos e familiares. Para ativar, siga o caminho Ajustes > Perfil > Buscar e adicione os contatos confiáveis.

Android

No Android, Acesse o site Encontrar seu smartphone do Google e selecione o dispositivo a ser localizado na lista.

Vivo e Samsung dão dicas de como proteger seu smartphone 4

Selecione a ação para aquele dispositivo, como tocar um alarme, localizar no Google Maps, bloquear o aparelho ou simplesmente limpar todos os dados do dispositivo. Lembre-se de que o aparelho necessita estar ligado para a ação escolhida ocorrer.

iPhone

Inicie a sessão em icloud.com/find usando um Mac ou PC e selecione o dispositivo na lista a ser localizado.

Vivo e Samsung dão dicas de como proteger seu smartphone 5

Na barra inferior, selecione a ação para aquele dispositivo. A Apple permite a ação de tocar um alarme, colocar em modo perdido, onde o usuário coloca a informação de contato na tela de bloqueio para facilitar o contato com o dono, ou apagar dados, onde todos os dados do dispositivo serão apagados. Lembre-se que a Apple permite a realização dessas ações em um dispositivo offf-line, mas a ação ocorrerá somente quando ele ficar online.

Gostou das dicas de segurança da Vivo e Samsung? Diga nos comentários qual medida de segurança você usa nos comentários.

Leia também

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Deixe uma resposta