Móveis open source: sites oferecem mobílias para download com opções gratuitas

Os móveis open source vem revolucionando a forma de comprar mesas, estantes, cadeiras e outros; saiba como funciona esse novo mercado

Não há dúvidas de que a tecnologia proporcionou novas experiências para a aquisição de produtos. Se antes você se dirigia até uma loja para comprar uma mesa, estante ou cadeira, hoje já é possível escolher o modelo diretamente com o designer, fazer download do projeto e montar na sua própria casa. Assim são os móveis open source, que vem ganhando cada vez mais destaque no Brasil.

A ideia dos móveis open source consiste no maker (o faça-você-mesmo) e no design aberto, onde, de forma colaborativa, o cliente paga pela fabricação do produto.

Móveis open source: sites oferecem mobílias para download com opções gratuitas
O objetivo é fazer com que o próprio usuário faça o seu móvel

Funciona assim: você escolhe o modelo com o criador, faz download do arquivo (o projeto da mobília) e envia para uma CNC, uma máquina frisadora que corta chapas de madeira através de um arquivo digital. Com as peças em mãos, basta fazer a montagem do móvel sem a necessidade de utilizar parafusos, dependendo do item.

O site Opendesk foi a primeira plataforma do mundo em produção de móveis open source. Nele, você pode encontrar cadeiras, bancadas, estantes, armários e mesas de centro. Os usuários podem baixar o “layout” e fazer os cortes da madeira numa oficina pessoal ou em FabLabs (laboratórios de fabricação digital).

Denis Fuzii trabalha com móveis open source há quase 6 anos (Imagem: Divulgação)
Denis Fuzii trabalha com móveis open source há quase 6 anos (Imagem: Divulgação)

O custo baixo, o reconhecimento do criador da peça, a possibilidade de ajuste de acordo com o seu gosto e a valorização de fornecedores locais são os principais benefícios dessa modalidade. Em entrevista ao Showmetech, Denis Fuzii, fundador da Studio dLux e representante da Opendesk no Brasil, destaca essas vantagens:

“Hoje em dia existe uma tendência de os produtos serem valorizados mais pelo seu processo do que por outros aspectos. O open source traz vários benefícios para toda a cadeia formada do processo. Liberamos o arquivo pois acreditamos neste contexto como algo social e de divulgação”

Deniz Fuzii, fundador da Studio dLux e representante da Opendesk no Brasil.

Os projetos open source podem ser baixados por qualquer pessoa e sua modificação/personalização também é liberada, contudo, fica restrito o seu uso comercial. Cada móvel contém uma patente para assegurar os direitos de propriedade intelectual do designer.

Para uso pessoal, o consumidor pode modificar o móvel de acordo com o seu gosto
Para uso pessoal, o consumidor pode modificar o móvel de acordo com o seu gosto

Além dos móveis, Fuzii vê que essa cultura pode ser ampliada para outros setores, mostrando como as complexidades atuais abrem um leque de oportunidades:

“Imagine uma plataforma que não somente compartilhasse móveis open source, mas talvez soluções de energia solar, tratamento de esgoto open source, que poderiam ser facilmente baixadas e adaptadas por cada usuário que tivesse esta necessidade”

Deniz Fuzii, fundador da Studio dLux e representante da Opendesk no Brasil.

De onde vem termo ‘open source’

Móveis open source: sites oferecem mobílias para download com opções gratuitas

O termo open source (código aberto, em tradução livre) é muito conhecido no campo da tecnologia. Ele surgiu nos anos 90 por desenvolvedores de softwares, para o compartilhamento de códigos-fontes para uso, modificação e redistribuição.

Com esses códigos, os usuários passaram a estudar, copiar e repassar a outras pessoas, gerando assim um sistema colaborativo. O WordPress é um exemplo de plataforma open source na tecnologia, visto que seu sistema é livre e aberto.

Onde posso encontrar móveis open source

Sites oferecem móveis open source (pago ou grátis)
Sites oferecem móveis open source (pago ou grátis)

Além da Opendesk, que tem cerca de 30 móveis disponíveis para download, o site brasileiro Designoteca não só trabalha com móveis open source, mas também com objetos para imprimir em 3D, projetos de robótica, dentre outros.

Quanto ao custo, esse é um detalhe que fica a critério do criador. Há quem cobre para você ter acesso ao design da peça e tem aqueles que fornecem gratuitamente.

Fuzii explica que, embora o Brasil seja um dos países que mais baixa arquivos do Opendesk no mundo, ainda há alguns pontos a serem trabalhados. Um deles tem a ver com a desconfiança dos criadores em disponibilizarem seus trabalhos para outras pessoas:

“Ainda sentimos que existe um certo medo de as pessoas compartilharem suas criações, mas acredito que esse processo vai se alterando de acordo com o conhecimento dos benefícios que ele pode trazer para cada um. Construir juntos é muito mais simples que por conta própria”

Deniz Fuzii, fundador da Studio dLux e representante da Opendesk no Brasil.
A qualidade do material é essencial na fabricação de móveis open source
A qualidade do material é essencial na fabricação de móveis open source

Mas não é só isso. O consumidor deve ficar atento à qualidade do produto. Para a produção são usadas madeiras e compensados. No Brasil, de acordo com a região, as peças podem variar, logo, o projeto deixa de ficar como foi pensado originalmente. Isso acontece porque nem sempre esse material é de qualidade. Por isso, não deixe de avaliar esse ponto.

Por quê optar por móveis open source

Denis Fuzii ressalta que há uma transformação no país com relação a esse tema: por exemplo, está crescendo o número de FabsLabs no Brasil, e a filosofia maker já é incentivada dentro das escolas.

Os móveis open source podem ser uma ótima opção para quem está no processo de montar o seu primeiro escritório, para quem busca dar uma renovada no home office e no coworking, que, inclusive, esse último faz sinergia com a cultura do compartilhamento.

Móveis open source: sites oferecem mobílias para download com opções gratuitas
Escritório do Greenpeace em Londres utiliza móveis open source

E por falar em empresas, algumas delas já adotaram essa modalidade. A organização ambiental Greenpeace possui um escritório em Londres em que quase todos os móveis são de open source. Vai que a moda pega, não é mesmo?

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Deixe uma resposta