Selo Intel Evo inaugura 2ª geração do Projeto Athena para notebooks de alta performance

Selo Intel Evo do Projeto Athena
Plataforma integra nova fase Projeto Athena e vai servir como selo de qualidade para notebooks premium

Imagine como seria a vida se pudéssemos usar os notebooks com a mesma facilidade e mobilidade que os nossos celulares oferecem. A proposta do Projeto Athena (ou “Project Athena“, nome original), da Intel, é tornar isso possível. E a empresa lançou o selo Intel Evo, que inaugurou a segunda geração do projeto, nesta quarta-feira (02) num evento virtual.

Na prática, o Intel Evo vai funcionar como um selo de qualidade, articulado ao Projeto Athena, para notebooks premium de diversas fabricantes. Assim, os aparelhos que atenderem aos critérios do Athena serão identificados pelo selo.

“Objetivo é desenvolver uma nova classe de notebooks premium verificada pela Intel.”

Josh Newman, vice-presidente e gerente geral do segmento de inovação em PCs da Intel.

A Intel também apresentou no evento a 11ª geração dos processadores Intel Core (Tiger Lake), voltado para notebooks finos e leves. 

O que é o Projeto Athena?

Projeto Athena é um programa de inovação da Intel para notebooks premium
Projeto Athena é um programa de inovação da Intel para notebooks premium

Resumidamente, é um programa de inovação da Intel voltado para notebooks premium. Segundo a empresa, a ideia geral do projeto é reimaginar a maneira como esses notebooks são desenvolvidos, construídos e fornecidos. Ou seja, o projeto visa basicamente redefinir a experiência dos usuários de notebooks.

O objetivo é determinar os parâmetros de qualidade para o desenvolvimento de computadores portáteis tão avançados que permitam o acesso tão rápido quanto o que você faz ao usar seu smartphone, por exemplo.

No Projeto Athena, a Intel reúne ideias para suprir as principais necessidades de conectividade e mobilidade dos usuários. Por meio deste projeto, a empresa tenta inserir nos notebooks todas as vantagens de um smartphone, mas mantendo as características de um computador. Assim, a Intel determina um conjunto mínimo de recursos, com foco em autonomia e conectividade, para os notebooks serem considerados premium.

Uma das primeiras inovações anunciadas pela Intel voltada para este fim foram os ultrabooks, que reduziram consideravelmente o peso e aumentaram a performance dos computadores portáteis. 

É importante lembrar disso porque dá para dizer que, atualmente, o Athena determina um conjunto de hardware que atende a requisitos específicos de forma parecida ao que os ultrabooks fazem há anos.

Mulher usando notebook premium do Projeto Athena
Projeto Athena é centrado em aprimorar experiência do usuário com notebooks

Agora, o Projeto Athena quer ir além, explorando o que é necessário para que modelos de notebooks estejam sempre conectados (para competir com os PCs “always connected” da Qualcomm), mesmo sendo compactos e com formatos variados (por exemplo, os modelos com duas telas).

A intenção é garantir o desenvolvimento de notebooks que você possa tirar da mochila em qualquer lugar e ele sempre estará pronto para o uso. Igual seu smartphone, quando você tira ele do bolso.

Para isso, os focos principais são em características como:

  • Conectividade: a rede 5G permitirá que o acesso seja feito de forma muito mais rápida e mais segura em qualquer lugar com cobertura para essa rede. Será possível fazer até streaming de conteúdo 4K por meio dessa rede móvel, por exemplo;
  • Instant-on: esta característica promete o fim daquela longa espera entre o momento que você aperta o botão de ligar e o momento que pode realmente usar o computador. Isso permitirá um uso quase imediato.

Além de orientar os fabricantes de equipamento e componentes na hora da produção dos aparelhos, a empresa realiza testes bem criteriosos para auditar os notebooks.

Pesquisa que embasa o Projeto Athena

Os critérios de avaliação de qualidade do projeto foram desenvolvidos com base numa pesquisa extensa, realizada pela Intel entre 2019 e 2020, sobre os perfis de usuários que utilizam esse tipo de notebook, como eles utilizam e para que utilizam.

A princípio, o estudo considerou os perfis de alunos, empresários, criadores de conteúdo e profissionais freelancers. Depois, o foco mudou para funcionários de empresas que trabalham em home office.

“O novo patamar estabelecido pelo Projeto Athena veio de estudos que buscaram antecipar as demandas e expectativas das pessoas em relação aos seus notebooks.”

Jim Johnson, vice-presidente corporativo e gerente geral de engenharia de clientes da Intel
Pessoa usando notebook do Projeto Athena
Pesquisa da Intel determina critérios para os patamares do Projeto Athena

Em tempos de pandemia e distanciamento social, a empresa constatou que o uso dos notebooks está intimamente ligado à rotina dos usuários em casa. Além disso, a demanda pelo uso do aparelho aumentou, graças ao aumento do trabalho remoto e estudo a distância. 

De acordo com Melissa Gregg – engenheira sênior da Intel especializada em etnografia e ciências sociais que liderou a pesquisa – o estudo foi completamente centrado na forma como os usuários utilizam os dispositivos, para que em seguida se pensasse em maneiras de aprimorar essa experiência, no atual contexto. 

Segundo a pesquisa da Intel, as pessoas estão usando seus notebooks para praticamente tudo, desde tarefas ligadas a trabalho a lazer e manter contato com família e amigos (seja por meio de chamadas de vídeo ou redes sociais). Consequentemente, esses usuários estão mais dependentes da qualidade e performance que seus notebooks oferecem.

Assim, o Projeto Athena determina, de maneira rigorosa, que os notebooks premium entreguem uma experiência excepcional para esses usuários. E determina, também, o que seria essa “experiência excepcional”.

Quando o aparelho é aprovado, ganha uma espécie de certificação, que garante aos consumidores que o produto realmente possui as qualidades que afirma ter.

A novidade é que agora a Intel vai explorar essa certificação de maneira mais comercial, o que, consequentemente, vai deixar mais claro para o consumidor o que esse “selo de qualidade” significa. É aí que entra o Intel Evo.

Como vai funcionar o selo Intel Evo?

Selo Intel Evo do Projeto Athena
Selo Intel Evo vai funcionar como ‘selo de qualidade’

O principal avanço da empresa que está alinhado ao Projeto Athena é a plataforma Intel Evo, que também vai funcionar como um “selo de qualidade” e inaugura uma nova era do projeto. Os notebooks premium baseados nessa nova plataforma são os design mais recentes do programa de inovação da empresa.

É importante ressaltar que o Intel Evo não é uma arquitetura nova nem um chip novo. É uma maneira comercial (e mais visível) de validar os notebooks que fazem parte do Projeto Athena. Até então, quando um aparelho era aprovado pelo projeto isso não ficava claro no produto.

Segundo a Intel, as principais características dessa nova classe de notebooks premium vai ser:

  • Ativação instantânea do dispositivo;
  • Bateria com autonomia de nove horas ou mais (considerando telas Full HD);
  • Autonomia de pelo menos quatro horas para uma recarga de até 30 minutos;
  • Desempenho consistente mesmo quando o notebook não estiver ligado à tomada.

Para recebem o selo Intel Evo, os dispositivos também devem trazer os novos processadores Intel Core da 11ª geração (Tiger Lake) com gráficos Intel Iris X, conectividade Thunderbolt 4 (que acelera as transferências de arquivos) e Intel Wi-Fi 6 (Gig+), que oferece conectividade três vezes mais rápida, de acordo com a fabricante.

“Todo notebook Intel Evo do Projeto Athena vai oferecer as melhores soluções de conectividade e autonomia de bateria.”

Josh Newman, vice-presidente e gerente geral do segmento de inovação em PCs da Intel

Além disso, a Intel determina que os notebooks devem oferecer microfones e alto-falantes de alta fidelidade, o que é voltado, principalmente, para melhorar a qualidade das chamadas de vídeo.

Notebook com selo Intel Evo do Projeto Athena
Notebooks com selo Intel Evo devem ser lançados ainda em 2020

De acordo com a empresa, os primeiros notebooks a receberem o novo selo devem ser lançados ainda neste ano. Segundo Josh Newman, executivo da Intel, a expectativa é que o Athena deva ter até vinte designs novos de notebooks na plataforma Intel Evo em 2020.

Segundo a empresa, esses notebooks foram desenvolvidos em parceria com os principais fabricantes do mercado mundial. São eles:

  • Acer;
  • Asus;
  • Dell;
  • Dynabook;
  • HP;
  • Lenovo;
  • LG;
  • MSI;
  • Razer;
  • Samsung.

Novos processadores Intel Core

11ª geração de processadores Intel Core
11ª geração de processadores Intel Core

Outro anúncio importante realizado pela Intel no evento virtual foi a 11ª geração de processadores Intel Core, chamada de “Tiger Lake”. Disponível em nove versões (i3, i5 e i7), os processadores dessa nova geração tiveram atualização da placa gráfica e agora contam com ferramentas de inteligência artificial para melhorar a performance do notebook e, consequentemente, a experiência do usuário.

Entre as inovações apresentadas no evento, o principal destaque foi voltado para a velocidade dos processadores. Segundo Boyd Phelps, vice-presidente de Engenharia da Intel, a nova geração da fabricante chega a ter desempenho quatro vezes superior aos processadores de concorrentes.

A nova geração Tiger Lake também teve a parte gráfica aperfeiçoada. Os gráficos Intel Iris X apresenta um desempenho melhor do que 90% dos notebooks ultrafinos disponíveis no mercado atualmente, segundo a Intel. A fabricante explicou que os silícios adicionados à placa proporcionam um desempenho gráfico maior durante gameplays também.

O Showmetech acompanhou a apresentação da 11ª geração dos processadores Intel Core e explica as novidades e melhorias da nova linha.

Fonte: Intel


E você, o que achou das novidade apresentadas pela Intel? Conte para nós aqui nos comentários!

Receba notícias como essa no seu email. Inscreva-se aqui:

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine nossa Newsletter