Apple fecha suas lojas ao redor do mundo, em resposta ao coronavírus COVID-19

applestore
Em nova resposta ao coronavírus, Apple anuncia fechamento de todas as suas lojas ao redor do mundo até dia 27 de março
Anúncio
Apple fecha suas lojas ao redor do mundo, em resposta ao coronavírus COVID-19

Junto ao anúncio do dia 13, de que sua Conferência Anual de Desenvolvedores, a WWDC 2020, será realizada em um novo formato totalmente digital, a Apple também aproveitou para anunciar o fechamento de todas as suas lojas de varejo ao redor do mundo até dia 27 de março, inclusive as do Brasil, ainda em resposta a dissipação do coronavírus (COVID-19)

Site da Apple anuncia fechamento da loja Apple Morumbi, de São Paulo
Apple anuncia fechamento da loja Apple Morumbi, de São Paulo

O CEO da empresa, Tim Cook, fez o anúncio através de sua conta no Twitter, destacando o comprometimento de colaborar com US$15 milhões para “a recuperação mundial”. No anúncio anterior, onde a tomada de decisão pelo formato digital da WWDC 2020 foi compartilhada, a Apple já havia prometido US$1 milhão para as organizações da cidade de San Jose, visando aliviar o impacto financeiro que os locais sentirão.

Resposta da Apple para coronavírus

“A dissipação do COVID-19 pelo mundo está afetando a todos nós. Na Apple, as pessoas vêm primeiro, e nós fazemos o que fazemos acreditando que a tecnologia pode mudar vidas e esperamos que possa ser uma ferramenta valiosa em um momento como esse. Professores estão inovando para manterem aulas remotas. Empresas estão experimentando novas formas para se manterem produtivas. Especialistas médicos podem diagnosticar doenças e atingir milhões com atualizações críticas num piscar de olhos. Nós todos estamos adaptando e respondendo de nossa própria forma, e a Apple quer continuar sendo parte e ajudando pessoas e comunidades a serem mais fortes. Mas esse esforço mundial — proteger os mais vulneráveis, estudar esse vírus, e cuidar dos doentes — requer todo nosso cuidado, e toda nossa participação.”

Tim Cook, CEO da Apple

O CEO também revelou uma nova coordenada para os funcionários da empresa darem total preferência a realizar seus trabalhos remotamente. Para aqueles que precisam estar nos prédios da companhia, uma distância segura deve ser mantida. Detalhes do guia não foram revelados para o público.

Vale do Silício

Segundo o jornal The Wall Street Journal, a cultura da Apple fica comprometida diante do estímulo para trabalhos remotos, devido ao fato da empresa primar por confidencialidade de suas atividades e projetos. Funcionários das empresas no Vale do Silício estão enfrentando dificuldades para lidar com novas políticas de home office e, em especial, lentidão da internet; problemas que devem ser resolvidos em breve, segundo as empresas.

Receba notícias como essa no seu email. Inscreva-se aqui:

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine nossa Newsletter